14 Fev 2018

Desenvolvimento de Produtos

Em busca de redução de custos e da automação de processos, a indústria encontrou na impressão 3D grandes recursos: mais produtividade em menor tempo. O fato é que as impressoras 3D invadiram o setor industrial e têm impactado diretamente na cadeia de produção de grandes empresas.

Pela dependência de empresas terceirizadas ou de processos mais complexos que demandavam o uso de maquinário profissional, as indústrias agora recorrem à impressão 3D para garantir agilidade nos processos, produzindo protótipos e produtos finais com muito mais eficiência. Engenheiros e designers encontraram nesse tipo de tecnologia uma alternativa muito mais eficiente para testar produtos de forma rápida e econômica.

Se antes as aplicações da impressão 3D ficavam restritas à produção em pequena escala, hoje vemos um movimento bastante forte em direção ao uso desses equipamentos por grandes empresas, como as do setor automobilístico e de aviação, por exemplo. Nesse cenário, as indústrias já acumulam conquistas: menor desperdício de material, redução ou até a eliminação de custos logísticos e claro, uma diminuição bastante considerável nos custos de produção.

Com a impressão 3D, grandes ideias puderam se transformar em objetos reais por meio de processos bem menos complexos do que as tradicionais formas de produção. Com o avanço desse tipo de tecnologia, as impressoras 3D chegaram para atender às necessidades da indústria moderna oferecendo agilidade e eficiência na produção de bens de consumo para diversos setores da economia. Os equipamentos de impressão 3D atuais podem criar desde objetos mais simples até os mais complexos, de maneira rápida e mais barata. Um ganho e tanto para a indústria tradicional.

No processo de produção aditiva, os objetos ganham forma camada a camada, a partir da deposição do material usado na impressora. O processo oposto ocorre na linha de produção convencional, onde a perda de matéria-prima é maior devido ao acabamento do produto até a peça final. Estima-se que até 2025, mais de 20% dos novos produtos fabricados no mundo envolverão algum tipo de processo aditivo.

Destaques da Cliever